Obed Rodrigues de Souza

"Creio para compreender, compreendo para crer melhor." Agostinho de Hipona

Textos

Não Permita, Senhor!
" Ouvindo Josué a voz do povo que gritava, disse a Moisés: Há alarido de guerra no arraial.
Respondeu-lhe Moisés: Não é alarido de vencedores nem alarido de vencidos, mas alarido dos que cantam é o que ouço. " ( Ex. 32:17-18)

Não permita, Senhor
Encontrar-me entre multidão
Que caminha  a passos silentes
Por calma e anestesiante estrada
De fé comprada por  presentes.

Não permita, Senhor
Que minha vida  se sustente
Em palavras que não sejam
Reveladas sob a verdade de tua luz
Vaidade  minha, cativa à tua vontade
Derrotada seja pelo trabalho  da  tua cruz.

Não permita, Senhor
Sejam promessas tuas,
Feitas aprazível espetáculo  banal
Onde  nem vencido , nem vencedor
O meu grito seja
Apenas alarido dos que cantam
No meio do teu arraial.

Não permita, Senhor
Olhos teus me examinem
E a encontrar em falta
Meu espírito esteja.
E diante de ti, minhas obras todas ,
Reprovadas  sejam, pois de ti vazias
Por  Ti  um estranho, eu  considerado seja .
Obed R. Souza
09/06/09
Obed Rodrigues de Souza
Enviado por Obed Rodrigues de Souza em 09/06/2009
Alterado em 31/07/2009


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras