Obed Rodrigues de Souza

"Creio para compreender, compreendo para crer melhor." Agostinho de Hipona

Textos

A Igreja Invisível

A verdadeira igreja de Cristo é invisível. Nunca buscou benefícios nem o reconhecimento deste mundo; não espera ser reconhecida como instituição, porque a sua gênese está diretamente ligada à vontade do Pai, não da boa vontade do homem.

Cristianismo é um relacionamento que nasce no coração de quem foi, um dia, encontrado pelo Pai e por Ele selado. Não nascido da vontade da carne, nem do homem, mas de Deus. (João 1:13)
Aquele a quem o Espírito Santo elegeu sabe que as portas do céu não se abrem com armas humanas, nem por convencimento de retórica, nem por obras da caridade - “Não por força, nem por violência, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos“. (Zacarias 4: 6)

A igreja fiel e invisível sabe que no dia em que seus ministros trocaram a singeleza da cruz pelo conforto dos palácios e passou a ser religião dos reis, rainhas e governantes ela se prostituiu. No dia em que ela criou um deus para suprir sua carência afetiva, colocou Deus a serviços de suas aspirações pessoais, desviou-se do seu propósito único de adoração ao Deus invisível. Inventaram uma religião, um bezerro de ouro, uma “mãe” para Deus, adorando e servindo à criatura ao invés do criador. (Rm.1:25)

Não pergunte a um verdadeiro servo do Senhor onde ele deve adorar. Seu coração é a morada do altíssimo. Seu coração é o santuário onde o Deus Vivo habita, através do Espírito Santo. No esconderijo do Altíssimo o crente fiel está escondido. “Importa que seus adoradores o adorem em Espírito e em Verdade.” (Jo.4: 23)

Não se preocupe com a Igreja fiel, invisível. Ela está preparada para o sacrifício, ela está preparada para as perseguições. Ela não compete com o mundo em beleza, poder e cargos públicos. Está preparada para sua solidão. Seu reino não é deste mundo.
Se bem que ela é cidadã, ela vota, participa, chora, se decepciona com os dirigentes corruptos, mas não põe neles a sua esperança.” Aguarda novos céus e nova terra, onde habitam justiça. “ (2 Pedro 3:14)
Conhece o paradoxo e conflitos do ser humano, por isso vive por fé, por isso crê na obra redentora executada pela Graça de Deus, ali na cruz do calvário. Sabe que sua justiça é somente “trapos de imundícia” (Isaías 64: 6). Tudo já foi feito, basta a nós crermos e aceitarmos o perdão. Mas as obras seguirão os que crêem. Fé sem atitude é fanatismo, farisaísmo.

A igreja fiel, não está preocupada com altares feitos por mãos humanas, antes está preparada para pregar a palavra que liberta. Ora pelos feridos e intercede para que a destruição causada pelos equívocos humanos, não chegue num dia em que todos, dançando na praça, não vejam e não percebam e sejam todos a uma destruídos.

A Igreja Fiel só quer estender as mãos aos feridos e necessitados no dia mau e sorrir com aqueles que se alegram na bondade.
A igreja fiel é um atalaia que ora e intercede ao pai em favor de todos os homens. Seu trabalho não é convencer, é ter um relacionamento com o Pai eterno. Ela sabe que as portas do céu não são arrombadas com debates nem discussões sem fim.
Ela é um instrumento do poder do Espírito Santo, que sopra onde quer, e toca quem quer, Ele, somente Ele “ convence do pecado da justiça e do juízo.” (Jo.16:8)

Solitária, não se adequa a ritos e costumes que, muitas vezes, nascem da necessidade do homem. Solitária, sabe quantos lobos vestidos de cordeiros querem apenas a honra a si mesmos. Solitária, abomina todo espetáculo carnal a que alguns irmãos e irmãs estão expostos dentro das igrejas.

Solitária, porque não comunga com ideais humanos, ainda que inserida no meio da sociedade. Tem em seu coração um altar erguido ao Deus da promessa a Abraão, a Isaque e a Jacó. Dessa adoração nasce a sua força, dessa união nasce a revelação que a sustem no dia mau. Separada dos afetos humanos, mas não de Deus... segue em frente, sem vacilar.
Jesus, a pedra de tropeço, que muitos rejeitaram é a glória da Igreja fiel, e por Ele, ela deverá negar tudo e enfrentar tribunais e julgamentos humanos. Numa sociedade plural e diversa, pregar o Deus único, e um único caminho de salvação é um grande crime contra a humanidade. Esse é o seu delito. Por esse crime deverá sofrer todo tipo de perseguição.

Firme, segue acreditando que quando não restar nada, restará o amor de Deus e sua fidelidade, através da Graça encontrada em Cristo Jesus, seu filho.

A igreja fiel não se deixa emocionar pela retórica eloquente de muitos seus líderes, antes estremece pela Palavra de Deus, que é viva e eficaz e mais cortante que espada alguma de dois gumes. ( Hebreus 4:12 )
A igreja fiel sabe que nunca será aceita pelo mundo. É consciente da contradição humana: milita na carne, embora não viva na carne. Feita de homens corruptíveis, contudo adora ao Deus único, santo e verdadeiro. Tem este tesouro em vasos de barro. ( 2 Cor. 4: 7 )

A igreja fiel não tem partido político. A igreja fiel espera um novo céu e uma nova terra onde habitam a justiça. (2 Pedro 3 :13)

A igreja fiel, enfim, segue em marcha, invisível, tendo como único objetivo servir ao Senhor Jesus com fidelidade e lutando para não ser enganada pelos encantos sedutores da carne e pelo apelo dos mercadores no meio do templo.
Sua única ambição é ser encontrada fazendo a vontade do seu Senhor e deixando-se ser guiada pelo Espírito Santo de Deus.
Seu maior desejo é ouvir naquele dia a frase pela qual anseia todo aquele cuja esperança está nos céus e não nesta terra: “Vinde benditos de meu pai, possui por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo; ” Mt. 25:34.

Obed R. Souza
08/12/2015


 
Obed Rodrigues de Souza
Enviado por Obed Rodrigues de Souza em 08/12/2015
Alterado em 06/01/2020


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras